sábado, 13 de março de 2010

AGITAÇÃO



As palavras do meu poema
têm a cor da saudade.
Talvez a saudade absurda de sonhos
medrados  na inocência dos cravos.
As rimas do meu poema
têm o odor da saudade.
Talvez a saudade proibida
de sonhar em contra-mão.
As metáforas do meu poema
têm o paladar da saudade.
Talvez a saudade envergonhada
do hálito quente deixado pela voz das cigarras.
E assim me agito neste ninho de saudades
sem descanso para as minhas asas remendadas.

MV

7 comentários:

GE3 disse...

talvez o poema devesse ser - saudade - porque é sobretudo disso que trata. da agitação, que não consta no poema, creio que poderá existir na poetisa...
mas os poemas que aqui leio são sempre agradéveis de ler. obrigado por isso e perdão por raramente comentar.
um abraço

Sonia Schmorantz disse...

Belíssimo este poema!
beijos, ótima semana

Olhar Meu disse...

A qualidade continua a morar em si, adorei a força sentida destas palavras... Muito bom.

Bjo

Fatima

A.S. disse...

Marta,

As rimas dos teus poemas
sorveram o brilho do sol...
Ficou uma luz da saudade,
numa cor de cinza
iluminando o mais claro dos dias...


Beijo
AL

Aníbal Raposo disse...

Cara Marta,
Gostei muito de ler este seu poema.
Beijos

poematar disse...

Um belo poema. "agitação" é um título muito acertado, há uma inquietação sempre presente,veja-se a "saudade" está sempre associada a uma convulsão interior, uma insatisfação serena, ou não. Além disso é forte este momento, "E assim me agito neste ninho de saudades sem descanso para as minhas asas remendadas", momento esse que é o final do poema, reforçando a ideia de inquietação e luta "asas remendadas". Vai uma visita até mim? Tudo de bom.

António disse...

Não importa que as asas estejam remendadas…
O que importa é que continuem a voar…
Sentir a liberdade sem saudade.

Convido-te a visitar-me.

Beijo
António