quinta-feira, 20 de agosto de 2009

VAZIO

foto MV




Madruga a pomba
com os versos adormecidos no arrulhar.
Absorve a atmosfera vazia.

Morre, por instantes, o poeta
quando escreve toda a emoção na poesia?

MV


15 comentários:

Isabel Preto disse...

Talvez...mas o poeta renasce cada vez mais forte dessa poesia, que o faz viver e vibrar...tanta beleza nestes versos tão singelos, mas tão únicos.
Um beijinho, para alguém muito especial.

CarlaSofia disse...

Olá, Martinha. Morrer não morre, julgo que é uma espécie de retenção sem ar, para que mais tarde possa inspirar uma nova energia.
beijinhos**

Tatiana disse...

Morrer e renascer faz parte da alma poeta!

Que nasçam novos e belos sonhos!

Beijo carinhoso

☆Fanny☆ disse...

O poeta renasce! Revigora a alma! Momentos necessários os da escrita, uma forma de extravasar os sentimentos, aliviar as emoções que tantas vezes nos sufocam. Multiplicação dos sonhos...um suave florescer.

Beijinhos*

Fanny

Sonia Schmorantz disse...

Morre ou renasce nas palavras que descrevem estes vazios, de forma tão bonita aquilo que deveria ser triste?
beijos

nanda disse...

Para que o poeta nao morra é necessario esvasiar quando os sentimentos transbordam, para criar novo espaço para novas emoçoes... e assim se cria um ciclo. E a cada ciclo o poeta renasce e a sensibilidade e sabedoria crescem...

A.S. disse...

Marta...

O Poeta morre e nasce todos os dias... tal como a pomba madrugadora que arrolha os versos ainda adormecidos...


Bjss
AL

EDUARDO POISL disse...

FELICIDADE!

Quando o vento bater à sua porta,
Abra devagar,
Para deixa-lo entrar
Pense quanto de bom poderá receber,
Se estiver pronto para tal,
Mas as conquistas diárias
Estamos sempre apostando tudo
e a cada recomeço,
Percebemos, o quanto é gratificante,
Estar pôr perto de quem se gosta de verdade,
Sua simpatia,
Corresponde o momento de felicidade
e transborda de alegria
o coração de quem recebe.

(Roseli Alcântara)

Desejo toda a felicidade neste final de semana,
Um grande abraço.

BC disse...

Viva Martita, estou de volta e dou a primeira voltita desde há uns tempos, ainda não com muita regularidade, mas vou tenta recomeçar.
Beijinhos
Isabel

Pardasta disse...

Madruga a pomba
com os versos adormecidos no arrolhar (rolhar-tapar-obstruir? .... tentando descrotinar o enigma...) versos adormecidos no que está rolhado-tapado-obstruido?).
Absorve a atmosfera vazia... (é premissa?)
Morre, por instantes, o poeta
quando escreve toda a emoção na poesia? (todaa emoção? ou o vazio que está nela?)

pergunta final.. e´uma prgunta?
, talvez seija só rima...

vou continuar a senda pels blogs que fazem dos portugesinhs poetas portgueses. bonoite :)

Marta Vasil disse...

A todos os que por aqui passaram e leram “Vazio”

Em vez de “arrolhar” deveria ter escrito “arrulhar”. Já fiz a devida correcção.

A PARDASTA
Agradeço a leitura e o comentário a que pretendo responder, quando o “arrulhar” se desarrolhar.

utopia das palavras disse...

Sim morre para que que sobrevivam os versos...por instantes!

Beijinho

cristal de uma mulher disse...

Caminhar na inspiração do poeta é algo que só conhece quem realmente é amante de sonhos...beijos

Anónimo disse...

A vida do poeta está no descrever das suas emoções. A inspiração tem muito a ver com o estado emocional que se vive,no momento em que se escreve. A atmosfera vazia poderá ter a ver com esssa menor motivação emocional.
Continue com a sua inspiração, mesmo com ligeiros lapsos, que será muito mais recomendavel que uma inspiração parda’(e)stá bem?
Um bom fim de semana.

lua prateada disse...

Não morre mas sempre fica um bocadinho dele em cada cantinho, em cada linha , em cada frse escrita...
Beijinho prateado

SOL