sexta-feira, 17 de junho de 2011

SEM RETORNO


Um dia confiei no destino
e atirei ao rio trunfos
que andava a deixar escapar.

O rio é um curso de água livre
(assim me ensinaram na primária)
mas esqueci-me que
quase todos os rios
se vão deslaçar no mar.

E esqueci-me também que o mar
sendo tão cheio de peixes e de água
se torna voraz e muito sedento.

Assim, numa das suas ânsias
engoliu todos os trunfos que lá foram parar
e hoje
só hoje reparei
que nenhum deles ao rio pode voltar.

MV

17 comentários:

Mel Almeida disse...

Muito suave e mas belo!
Adorei!

Mel

Armando Sena disse...

E o rio cheio de vida
E vontade de tudo dar
Todos os trunfos do mundo
À Marta há-de ofertar

Tão Bonito este poema Marta.

Beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito bom mesmo!!! Não tinha pensado dessa forma....gostei!

[]s

Secreta disse...

Há coisas na vida que não teem retorno.

Secreta disse...

Passei para uma visita.
Deixo um beijito.

Secreta disse...

Beijito...

BC disse...

Ai o mar, o mar, que tanto nos inspira Martita, que leve!
Beijito

Anónimo disse...

Motivos cívicos de força muito grande forçam-me a usar o vosso mail para vincular este alerta,
Peço desculpa, desde já.

Por favor tomem conhecimento do conteúdo deste blogue e defendam-se:
http://recusecontadoresinteligentes.blogspot.com/

Passem e repassem a informação junto dos vossos amigos e colaboradores,
Obrigado

mundo azul disse...

______________________________

Há um perfume triste nesses versos...Mas, é assim mesmo... Quase nada volta.

Beijos de luz e o meu carinho, sempre!!!


ps.não postou mais, amiga...

__________________________

Aníbal Raposo disse...

Olá Marta,
Passei para te ler. Bonito poema.
Beijo

josé marinho disse...

Belíssimo poema; orgânico, pulsatil. Deixo aqui o convite para a ligação do meu primeiro livro de poesia editado como previsão da futura edição impressa. Um Natal pleno de Saúde e Alegria!

http://pt.scribd.com/doc/75264095/FALEMOS.

dinha'' disse...

Bem, eu tenho temido mudar, Porque eu construí minha vida ao seu redor, Mas o tempo traz coragem; crianças envelhecem, Estou envelhecendo também.(sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Crianças Envelhecem"

http://criancasenvelhecem.blogspot.com/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Dinha".

José Marinho disse...

Convite para a ligação do meu primeiro livro de poesia, editado como previsão da futura edição impressa. Um Novo Ano pleno de Saúde e Alegria! http://pt.scribd.com/doc/75264095/FALEMOS - José Marinho

Nilson Barcelli disse...

Há trunfos que só podem ser usados uma vez.
Magnífico poema, gostei.
Rita, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Nilson Barcelli disse...

Voltei para te ler.
Reli-te, com agrado.
Beijo.

AC disse...

Talvez seja defeito meu, mas acredito em segundas oportunidades.
Parabéns pela escrita, parabéns pelo blogue.

Bj

Nilson Barcelli disse...

Há coisas que fazemos que não têm remédio...
Rita, o teu poema é execelente. Adorei. Um rio de talento, é o que tu és...
Beijos, querida amiga.