quinta-feira, 2 de julho de 2009

ASSIM SEJA

foto MV

Assim seja
reconhecer-te
no respirar doce do rio.

Cheiro a alfazema
que me perfume o peito
Sumo de uva
a aveludar-me a garganta.

Assim seja
zumbido de insecto
a rasgar silêncios
Raio de sol a brilhar
quando o último candeeiro
se apagar.

Assim seja isto e muito mais
sejas tu, amor
o cristal
a flor
o sopro de ternura
a reflorestar a alegria
de cada amanhecer.

MV

22 comentários:

nanda disse...

assim seja... que nosso passar pela vida seja repleto de amor... de tudo o que nos faça sentir que estamos vivos... gostei do seu assim seja... beijos

Isabel Preto disse...

Querida, Marta:
Obrigada pelos comentários doces que deixa no meu blog, cheios de carinho. É como se a conhecesse desde sempre e ao vivo. Admiro-a muito e sinto-me honrada por ter a sua amizade.
Beijinhos.

☆Fanny☆ disse...

Assim fiquei: encantada com o teu sentir!

"sejas tu, amor
o cristal
a flor
o sopro de ternura
a reflorestar a alegria
de cada amanhecer."

Que a Aurora emoldure o quadro dos teu sentimento. Que a Luz da felicidade acenda no teu coração sorrisos de amor e alegria.

É bom regressar à poesia!
Saudades...

Um abraço com ternura*

Fanny

Vanda Paz disse...

Simples e muito bonito

Beijo

A.S. disse...

Marta,
Tenho estado fora e só agora tenho oportunidade de agradecer a tua gentileza e a bondade com que olhaste para as minhas letras. Não mais o esquecerei!
Ainda não fui buscar o Prémio porque não sei bem como isso se faz, mas vou descobrir!:))

Quanto a este teu belissimo poema, apenas te digo:

Está escrito que amanhece,
que anoitece,
que o céu tome a cor do mar,
que entre eles
se acenda a paisagem,
em tons de cristal,
em perfume de flor,
em sopros de ternura
que refloresçam a alegria
de cada amanhecer...


Beijos msus!

Tatiana disse...

Sopro de Ternura é o ar que respiro ao ler as suas palavras!

Um abraço carinhoso e um ótimo Fim de semana para você!

Sonia Schmorantz disse...

Que assim seja a ternura em poema!
beijo e lindo final de semana

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.”

(Fernando Pessoa)

Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho.
Abraços


VISITE TAMBÉM O MEU NOVO BLOGGER UMA ILHA PARA AMAR

utopia das palavras disse...

Bebi o que me deste,
impregnou a minha pele
a fragância do poema!

Terna flor...até ao amanhecer!
Assim seja, Marta!

Um beijo com o maior carinho

poematar disse...

Belíssimo poema; sem mais comentários. Bravo. Soube-bem lê-lo. Um abraço.

soantes disse...

Mas que grande poema! E simples, como alguém disse.

soantes disse...

Belíssima a foto também. É uma foto MV?

Nuno G. disse...

sentidos e sentimentos numa mescla brilhante...
beijinho!

Lago Mudo disse...

Algo tão bonito não merece um 13 nos comentários. Boa sorte e bons poemas...

Chris disse...

Belissimas palavras... obrigado
bj
Cristina

ARTISTA MALDITO disse...

Martita, venho fazer-te uma visitinha, mas preciso de algum tempo até poder comentar dignamente.

Para já vou esforçando-me em seguir por diante.

Beijinho grande
Isabel

Nilson Barcelli disse...

A tua escrita é tâo límpida que até me faz impressão. Para além de outros pormenores muito interessantes, tal como as imagens poéticas que consegues construir.
És uma criativa nata.
Beijo.

poematar disse...

Vim reler um belo poema; frescura, enlevo, telurismo e uma alma sensível. Beijo

poematar disse...

É, as "pontas" de leitura que fazes são correctas e a mais certeira é a do "senhor anónimo".
Beijo

ARTISTA MALDITO disse...

Martita, logo volto. Só queria sossegar-te, aquela publicação foi resultado de uma noite muito peculiar, em que houve "assaltos":))) entre blogues. Uma brincadeira numa noite de insónia, mas devida ao incómodo dos meus "papos invasores". O médico corrige-me sempre: Tumefacções!:))

Beijinho
Isabel

manzas disse...

Passando para sorver e saborear
Cada letra, palavra, frase, poema ou poesia…
Para ler e ver, este jeito e modo de vida,
O do universo das palavras!
Pensamentos que aludo!
Porque ler, sentir e sonhar
Para muitos… pode dizer nada!
Para outros… o nada pode dizer tudo!

Um fim-de-semana
Cheio de momentos e palavras
De amor e alegria!

-MANZAS-

Anónimo disse...

Embora o misticismo nas suas palavras continue presente, a leitura deste poema demonstra uma acessibilidade mais intima no interior dos seus pensamentos.O amor em permanente desejo com a natureza, a natureza desejavel no amor que se respira.
Bom fim de semana.