sexta-feira, 16 de outubro de 2009

PARADOXOS

Foto do blogue SOANTES
http://soantes.blogspot.com


Por detrás das cortinas
olhar dissimulado
ao passar das horas mudas.
Agitadas.
Longas.

Estendendo o tempo
quase ao limite da ruptura.

Horas de há muitos dias
inscritas nas paredes
sufocadas de ilusão.
Inscritas nos mosaicos amassados
pelo acotovelar do riso da vespa
e da lágrima da borboleta.
Inscritas no tecto
a coalhar instantes
de tudo e de nada
de luar e de escuro.

MV

7 comentários:

soantes disse...

Poema belo e sentido,
Cheio de sentidos e, parece,
Com uma estória por trás
Da cortina que anoitece.

impulsos disse...

Belíssimo poema!
O verso e o reverso de uma mesma medalha...

Beijo

Jacque disse...

Oi, Marta http://jacque-sementesdofuturo.blogspot.com/

Convido-a, gentilmente para seguir o SEMENTES, vi que comentastes lá, siga-nos, será um imenso prazer somar-mos forças

EDUARDO POISL disse...

Você sempre escreve com sentimento, lindo poema.
Abraços

Tatiana disse...

No paradoxo do tempo...vamos vivendo!
Um beijo carinhoso e um bela semana para o seu coração.

Um Olhar disse...

Ler a tua escrita, significa dizer...um milhão de sentimentos de gosto imenso.

Bjo
Fatima

BC disse...

M/R a cortina,com algo por trás por desvendar????
Bonito, forte PARADOXOS!!!
Beijo