segunda-feira, 22 de junho de 2009

POEMA CAÍDO

Uma a uma as palavras foram caindo
da escada que sustinha a vida do poema

Um poema a respirar a madrugada das amoras
embriagado no roçar macio das uvas

Um poema que crescia enchendo a casa
ilustrando nas paredes a ternura dos dias

Um poema que chorava sozinho
quando todos sorriam

Agora sou sou eu que choro
sobre as lágrimas do poema caído

MV

16 comentários:

utopia das palavras disse...

A poesia também é sofredora, cada sílaba desenhada é muitas vezes uma lágrima arrancada!

Bonito...!

Beijinho

Nilson Barcelli disse...

Mas tu, querida amiga, não és um poema caído. Nem sequer do céu...
Porque tu respiras poesia, e bem.
Boa semana, beijo.

CarlaSofia disse...

Martinha, resta-me dizer que apesar do poema caído, as palavras elevam a alma.
um beijinho e Ânimo
~universosquestionáveis~

Vera disse...

Adorei o poema... Sabes? Chega a ser inspirador... E é triste, tão triste como eu gosto de um poema!

Beijo grande

As Chamas do Fénix disse...

Amiga Marta...

Eu é que agradeço a sua presença, não me recordo de ter assinado nenhum livro com o nome Marta... mas recordo que todos os presentes disfutámos de um momento mágico de poesia...
Eu não conhecia ninguém mas por momentos parece-me que éramos todos amigos duma vida...

Uma Grande Chama para ti... beijos

ARTISTA MALDITO disse...

Olá Martita

Quero agradecer a tua amizade e as palavras de amizade que me deixaste.

Vou voltando, lentamente, mas volto com saudades de visitar as boas amigas que tive a sorte de entrarem na minha vida.

Pelo teu cuidado e carinho os meus votos de continuação de uma amizade que prezo muito.

Volto para comentar o poema.

Beijinho Grande,
Isabel

Paula disse...

...e quando os poemas choram, acompanham a nossa alma pelo mundo conturbado dos sentires e dos sentidos...

Abraço

Tentativas Poemáticas disse...

Querida e dedicada amiga Marta
Tenho andado fugido, sim! Perdoe-me.
Hoje passei para lhe oferecer um Prémio que a Isabel (A.Maldito) e eu elaborámos em parceria. Quis personalizar a oferta, pela admiração e estima que me merece.
Beijinho com ternura.
António

poematar disse...

Gostei muito. Desculpa o laconismo mas hoje estou ao contrário. Vim desejar-te continuação de bom fim-de-semana e informar-te que tens no poemar-te o prémio Lemniscata. Beijo.

ARTISTA MALDITO disse...

Olá Martita

Pela entrega à poesia o teu blog merece o Lemniscata a dobrar. Também o trago comigo, já vi que o Jota anda mais rápido do que eu:)

Beijinhos
Isabel

Valdemir Reis disse...

Olá estou visitando, parabéns pelo belissimo trabalho, excelente. Quem segue acompanhado de um amigo vai mais longe, muito além...
Compartilho o texto a seguir
“A amizade é assim:
É sentir o carinho,
É ouvir o chamado.
É saber o momento
de ficar calado.
Amizade é somar
alegrias, dividir tristeza.
É respeitar o espaço,
silenciar o segredo.
È a certeza
da mão estendida.
A cumplicidade que
não se explica,
Apenas vive!”
Olavio Roberto
Grato de coração por sua atenção e gentileza. Deixo votos de um fim de semana repleto de muitas alegrias, muitas bênçãos e que reine a paz, saúde e proteção, brilhe sempre! Fique com Deus. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Felicidades.
Valdemir Reis

Manuela Fonseca disse...

A poesia é a disciplina da alma. E quanto mais sofredora, mais bela...

Uma boa semana, amiga.
Beijinhos de mel*

Poesias e Canções disse...

Poema que chora e que faz chorar os poetas;
que nos pega distraídos rolando escada a fora na vida
Mas que ao levantar-se vem revestido de força e coragem cada vez mais
Assim são os nossos sofrimentos
Tem o poder de revelar nossa fraqueza tornando-nos fortes!
Beijinhos;
não esqueci de ti ,viu?!
Até breve!

Rainha de Lotus disse...

Lindo!
"Agora sou eu que também chora as lágrimas de um poema caído"
Maravilhoso!

Rainha de Lotus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rainha de Lotus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.