sábado, 27 de novembro de 2010

VOCAÇÃO


Procuro a razão
de tão vincada vocação.

Escolho sempre vidros opacos
ou a margem do rio
onde não há multidão.

Modelo mil razões
e nenhuma me responde.
Uma encomenda recolhida à nascença
ou hábitos pespontados no tempo?

Das mil razões
que faço e desfaço
há-de haver uma
que me faz ser
coração tão isolado.

MV

7 comentários:

Armando Sena disse...

Se essa razão é a que a faz escrever coisas tão belas, então tem por menos uma razão de ser.

Fernanda Rocha Mesquita disse...

O isolamento do coracao, disso eu entendo. nao tem cura. mesmo quando a felicidade bate a porta, nos sabemos que a solidao sera presenca constante.eu conheco algumas razoes que por vezes duvido se serao razoes
boa semana
fernanda

mundo azul disse...

_______________________________


Algumas pessoas apreciam a solidão... Não vejo nada de errado nisso.

Seu poema tem alma! Gosto do modo como escreve...

Beijos de luz e o meu carinho, sempre!!!

_______________________________

☆Fanny☆ disse...

Querida Marta!

Tão lindo o teu poema! A solidão, esta necessidade de alma que nos transporta para mundos secretos de dor ou serenidade.

Um beijinho*

Fanny

zeninumi disse...

Agradeço os seus comentários no meu blog, e depois de ler alguns dos seus escritos a única frase que me ocorre é que escreve divinamente.

Rafael Castellar das Neves disse...

E talvez esta seja a que mais protege!

[]s

Anónimo disse...

Coração solitário!!!Será a procura de algo que nem o próprio coração sabe?!
A solidão faz parte de nós...por momentos!!!
Isabel A