quarta-feira, 25 de março de 2009

"DESBORBOTAR"



O tempo! O implacável tempo! Desta vez a “borbotar”


A deixar borboto áspero naquela blusa... Lembras-te?

A blusa que inventei para contigo me ir encontrar?

Já tem borboto no esboço dos meus seios

pelo roçar descuidado dos braços

à procura do rosto em que não adormeço.


Ondas ferozes são borbotos do mar...

recuam sem pressa o fluir do meu navegar.


Borbotos no céu... são trovões a ribombar no peito

a quebrar as lianas com que entranço o meu delirar.


Borbotos nas páginas dos livros...

Vendam-me e desfocam-me o olhar

negam-me o sentido verdadeiro

das palavras que não sei decifrar.


Borbotos...

Tropeços no ressoar das emoções

guardadas em desalinho na alma

tão cheia de recordações!


Minas recônditas no peito

que as mãos não conseguem desactivar.


“Desborbotar” ... um malabarismo a inventar!


MV



Deixo a "lapela" aberta para todos poderem levar os 3 prémios que me chegaram de Isabel, do blogue ARTISTA MALDITO - http://imonteverde.blogspot.com.


21 comentários:

frAgMenTUS disse...

Martinha, ler-te põe-me mts vezes a pensar - safa, ela poeta com uma irreverência, uma originalidade q eu não sou capaz...nunca me ocorreria escrever um poema assim e agora ri-te: a realidade dos borbotos é q o Vi tem paranoia de os comer, desencata-os de mantas, pullovers, sei lá...e eu sempre aflita para não engolir, não fazer mal aos pulmões, q filme...hehe
Bj grnd e obrigada, tá? valeu!

Sonia Schmorantz disse...

Confesso que precisei do dicionario para descobrir o que eram borbotos, pois veja que imaginação a tua a fazer um poema sobre isso, e um lindo poema, rsss
beijos

Artista Maldito disse...

Olá Martita

Para desborbotar é, realmente, preciso mais do que para borbotar. É o tempo que no seu vai-vém, como as ondas do mar, confrontam-nos com o passado e o presente.

E haverá alguma forma melhor de desborbotar do que três selinhos? Estão lá bem plantados no meu jardim.

Vou já a fugir que hoje não escapo a uma vassourada.

Beijinhos
Isabel

Poesias e Canções disse...

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim.
Charles Chaplin

Anónimo disse...

o tempo..o tempo..correste mas a Isabel chegou 1º à meta...hehe..mas tu sabes q tens um lugar tão especial no meu coração q o melhor prémio és mesmo tu! :)

bj de lua (quase eclipsada)

fragmentus

Tatiana disse...

Bom dia Marta!

Adoro a forma que escreves!
Parecem livres sentimentos soltos!

Estou em época de provas na faculdade,
Por isso acabo ficando em falta com as visitas...
Mas assim que passar essa fase, voltarei á visita-los
como era de costume.

Tenha um final de semana muito especial!
Um abraço carinhoso

poematar disse...

Obrigado na mesma pela intenção. Venho a correr. Desculpa. Por mim podes levar, as pergunta à Isabel. Está lá no dela. Estou aflito comtrabalho

Ana disse...

Martinha, obrigada pelos teus selinhos.Agradeço-te de coração.
Simpatia igual jamais a esquecerei!
Um beijinho para ti e bom fim de semana:)

(logo que possível venho busca-los)

poematar disse...

Esqueci-me de dizer-te que o chocolatinho causa-me refulxo duodeno gástrico - o que é um frete. O peito anda sempre a queimar. Gostei do modo desdramatizado como abordaste o tempo; boa, boa... Fui. acabei por editar uma coisita. Beijinhos.

Vieira Calado disse...

"O tempo é uma abstracção"
Stefan Walkins


Bjs

neide disse...

Marta querida, obrigada pelas palavras deixadas no meu cantinho,também gosto muito de vir aqui, seu cantinho é lindo e nos convida a voltar.
Amei os prêmios. Obrigada amiga.

Tenha um maravilhoso final de semana.

Bjão

Mari disse...

Marta!
Obrigada pelo carinho,
por seus textos, que são
são lindos!
Uma boa semana pra ti....

Artista Maldito disse...

Olá Martita

Ando tão despassarada que li no Jota o teu comentário e depois esqueci-me. Marta, por favor leva o que quiseres do meu blog e sem pedires, fico contente.

E beijinhos que me vou, o alomoço espera-me
Isabel

BC disse...

O verbo desborbotar não está mal visto, e se formos a ver tanta coisa que tem borbotos na vida!
Beijinhos
Isabel

mundo azul disse...

_________________________________

Bonito poema com um tema bem original! Gostei!


Beijos de luz e o meu carinho...

_________________________________

Sereia Azul* disse...

Obrigada, Marta! O teu selinho, eu já levei.
Desculpa só agora agradecer, mas estive com problemas e com pouca disposição de andar pela net.
Vou retomando aos poucos.
É sempre um prazer vir até a este espaço mágico e de encanto.

Um abraço de brisa marinha*

Sereia Azul* disse...

Querida...
Agora sou eu... deixo-te 3 selinhos do meu coração. Estão logo no início do meu Mar...

Uma brisa e um sorriso*

José Manuel Brazão disse...

Dos poemas mais originais e interessantes que li nos últimos tempos!

Beijo com carinho sem borboto
(ambos não precisamos desborbotar)

A.S. disse...

Marta...o tempo é sempre implacável! nada o pode evitar!
As suas marcas, são tudo o que fica do seu passar.
Mas o tempo, não passa por nós! Nós é que passamos pelo tempo!!!

Lindo o teu poema!


Beijos

Conceição Bernardino disse...

Olá desculpe a minha ousadia mas gostaria de vê-lo presente neste encontro – se quiserer visite o link http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,11740.0.html
Obrigada
Abraço


Dia 4 de Abril de 2009

Casa Juvenil São João Bosco
Quinta do Carvalho
Contumil Porto (a Campanhã / estádio do dragão)


10:00 - Recepção aos utilizadores
10:40 - FASHION TV 2009
11.00 - Início da declamação de textos pelos utilizadores (inscrição à chegada)
12:30 - Almoço partilhado
15:00 - Momento musical pelo Quinteto de Metais do Conservatório de Música do Porto
15:30 - Início do lançamento do livro "Diários" de Goretidias
17:30 - Porto de Honra


Nota: O lançamento do livro contará com o acompanhamento musical do Quinteto de Metais do Conservatório de Música do Porto, sob a direcção do Maestro Rui Brito. A apresentação da obra ficará a cargo do escritor e Mestre em Teoria da Literatura Luís Filipe Pereira.

O almoço estará a cargo de todos os utilizadores presentes que partilharão o que entenderem por bem disponibilizar para o efeito. Há, na zona, entrega de refeições ao domicílio para quem vier de longe ou não quiser trazer consigo qualquer alimento.


Link de localização:


Quinta João Bosco:aqui

frAgMenTUS disse...

obrga pelos mimos blogueiros, já me habituas mal, amiga :) big kiss