segunda-feira, 30 de março de 2009

ÁRVORE DA INDEFINIÇÃO



imagem de Isabel Lassuta Monteverde


Se estremeço em cor de papoila
e afogo esse rubor no silêncio,
Se te sinto astro
e te enraízo no chão,
Se soletro as cores das tuas palavras
e as escondo no escuro do castanho,
Se adormeço no clarão dos teus olhos
e com medo hipnotizo os sonhos,
Se quero as tuas mãos entre as minhas
e logo domo a pressa de as afagar,
Se me liberto de preconceitos
e se depois emudeço,
Se sorrio ao azul da tua cor
e a sopro nas velas do vento,
Se suspiro no mel dos teus gestos
e prescrevo silêncio no coração,
Se ateio o sabor dos beijos
e os acomodo nos galhos das árvores,
Diz-me tu que sabes que existo
se isto é amor ou não.

MV


30 comentários:

frAgMenTUS disse...

suspiro...e digo:que LINDO!!!
este poema tem suavidade, um quê de languidez, tristeza e fresta de esperança e tocou-me especialmente este excerto:

"Se sorrio ao azul da tua cor
e a sopro nas velas do vento,
Se suspiro no mel dos teus gestos
e prescrevo silêncio no coração,
Se ateio o sabor dos beijos
e os acomodo nos galhos das árvores,
Diz-me tu que sabes que existo
se isto é amor ou não."

é triste quando até existimos mas não há reciprocidade, quando se queda a magia e tudo fica como um abismo de solidão, ainda que sempre acercado de azul infinito...

bj, kida amiga

Artista Maldito disse...

Olá Martita

Cheguei há pouco e deparo-me com este poema lindo, dizer lindo é pouco. Concordo com a Ana Margarida quando diz que nele há uma fresta de esperança.

Fiquei emocionada e muda. Tantos significados nele contidos, tantas leituras possíveis.

A minha leitura é a da suavidade de um amor correspondido:

"Diz-me tu que sabes que existo
se isto é amor ou não."

Esse tu poderá objectivar a indefinição.

Espero que a esperança se sobreponha à tristeza e nessa fresta caiba a palavra que cada um espera ouvir.

Beijinhos, Marta e obrigada pela imagem,
Isabel

p.s. não imaginava que esta imagem tocasse tanto, de facto foi a mais sentida que fiz. É um auto-retrato do qual não me tinha apercebido.

neide disse...

Lindo poema.
E que aflição em saber se é amor ou não... Os olhos brilham na esperança de uma boa resposta.
Que seja amor e que dure pra sempre.

Feliz semana querida.

Bjsss

Artista Maldito disse...

Marta tens um bouquet de rosas na minha lapela:))

Beijinhos
Isabel

Artista Maldito disse...

Já os levo comigo e seguem para o meu jardim:)

É verdade, Marta há coisas inexplicáveis e agradavelmente surpreendentes. Não sei como certas coincidências acontecem, mas o certo é que há coisas que não se explicam.

Beijinhos e Obrigada,
Isabel

poematar disse...

De fugida antes que caia para o lado, mas vou, pelo menos, levar os teus miminhos, obrigado. O teu poema emocionou-me, sendo bem construído e, como sempre, bem finalizado.. Fica bem aí a tela da Isabel, não é? Beijo

Ao Sabor da Poesia disse...

Oi Marta querida amiga

Poesia maravilhosa com vários
significados muito lindo mesmo

Parabéns!

Uma semana iluminada

Beijinhos no coração

Ricardo disse...

Se é amor ou não, é uma descoberta sempre complicada.
Mas, que é um sentimento forte, isso é sem duvida!

Beijo

siwa disse...

Excelente blog. Parabéns.

A.S. disse...

Belo poema!

É um doce e intenso amor!...
Amas como quem respira!!!


Beijos!

BC disse...

Voltei depois dum interregnozito, e deparo-me com mais um lindo poema que já não me parece tão tristonho._____________

Nele vejo esperança e a descoberta de um amor já existente???____________ será amiga
Beijinhos
Isabel

IsabelPreto disse...

Fiquei lisonjeada pela visita ao meu cantinho...Obrigado...Passarei a partilhar o seu espaço, principalmente pela sabedoria que encerra e pela poesia, que nos dá cor.
Bem-Haja

frAgMenTUS disse...

http://osaldaslagrimas.blogspot.com/2009/03/magnolias-brancas-amigas.html#comment-form

descobri estas magnolias p ti, são da Madalena

bj perfumado e amigo

poematar disse...

Marta, não te preocupes. Não estou assim tão mal. Depois de amanhã já deverei estar melhor, mas o que tem que ser tem que ser.

Tentativas Poemáticas disse...

AMIGA

Se emudeço na hora de comentar
é porque sei que existes e sabes o que é amar.
Muito obrigado pela amizade, pelas prendas, por tudo...
Beijinhos com muita ternura.
António

Espaço do João disse...

Digo e repito.
É amor. Amor com definição, com sabor, com desejo, com ansiedade. com alegrias, com tristezas , o amor é tudo. Até amar e não ser amado, é amor. Eu ainda não consegui definir a palavra AMOR, no entanto sinto que amo e também sinto que sou amado e odiado.O amor que sinto pela minha companheira, pelos meus filhos, pelo meu neto por tudo o que me rodeia, é infinito. Amor é fogo que arde, mas com cedências de parte a parte, o fiel da balança fica no lugar certo.

Cadinho RoCo disse...

Não busque definir o amor que então busca de nós o que ele é.
Cadinho RoCo

BC disse...

Vim dizer~te um olá, hoje só agora apareci, fiquei o diatodo sem computadores por causa do dia das mentiras_____________engolimos que nem uns patinhos.
Beijinhos
Isabel

Poesias e Canções disse...

Obrigada pelo beijinho deixado em meu blog!Me fez um bem!
ando corridinha esses dias ,mas logo logo volto a escrever!
Obrigada por tudo!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Amigo pode ser de onde for
Mas se existir amizade
Sempre se lembrará de nós
Amigo pode estar do outro lado do oceano
Mas se o é de verdade
Sempre nos manda um abraço
Amigo pode estar em dificuldade
Mas sempre tem uma palavra amiga para nós
Amigo é aquele que te limpa a lágrima
Não o que faz com que ela caía
Sempre que precises de mim meu amigo ou amiga
Estarei por perto lembra-te
E eu terei junto de teu coração

Um abraço do amigo Eduardo Poisl

CarlaSofia disse...

Martinha querida
a própria vida é indefinida
obrigada pelo apoio
beijinho

BC disse...

Marta,
venho para te dizer que poder ir buscar o meu sorriso aos "OUTROS SORRISOS"
Com um beijinho da Isabel

poematar disse...

Venhoa correr; desculpa. Espero que tenhas ficado aborrecida comma minha brinacadeira. Vou estar ausente uns dias. Recarregar, para voltar a trabalhar. Um beijo.

Tatiana disse...

Que lindo!

Um belo final de semana para você e para todas as pessoas que estão em seu coração!

Um beijo carinhoso

Sonia Schmorantz disse...

Hoje passei especialmente para te desejar um lindo final de semana.
beijo

Anónimo disse...

A indefinacao do poema em si fortalece a questao final.A sinceridade nos comentarios exige que se entenda o que se le ou no minimo tentar entender.Penso que acima de tudo exprime a recusa de tudo o que lhe e' oferecido.O amor nao pode recusar...o amor aceita quando se deseja.
magnifico poema.

Anónimo disse...

A indefinacao do poema em si fortalece a questao final.A sinceridade nos comentarios exige que se entenda o que se le ou no minimo tentar entender.Penso que acima de tudo exprime a recusa de tudo o que lhe e' oferecido.O amor nao pode recusar...o amor aceita quando se deseja.
magnifico poema.

Marta Vasil disse...

Não tendo outra forma de o fazer, agradeço a quem deixou este inteligentíssimo e interessante comentário.
Agradeço igualmente as palavras "magnifico poema"; sendo apenas duas, sei que aqui as virei buscar quando acordar conflituosa com as palavras e sentir que as minhas mãos podem mutilar a POESIA ao escrevê-las.
Será sempre bem vindo deixando a sua verdade, mesmo que seja, desta vez não gostei porque... Será importante.

Uma boa semana

MV

Anónimo disse...

Obrigado.Um dos grandes valores da poesia e' que provoca com a sua leitura a multiplicidade de interpretacoes.A subjectividade de quem le quando expressa, gera um conflito de ideias que sera' sempre salutar se puder ser debatido.Sera' este um caso?Penso que sim.Ninguem melhor que a Marta sabe da objectividade deste poema.Os comentarios nao deveriam ser feitos so' para agradar aos autores.A poesia merece esse respeito.A sus poesia merece ser verdadeiramente comentada.

Marta Vasil disse...

Agradeço novamente a sua presença aqui. Sobretudo porque este seu comentário nos remete para a "ligeireza" com que, muitas vezes, comentamos. Porque às vezes nos falta o tempo, porque os blogues se tornam sítios de afecto, porque outras vezes, as palavras sobretudo, em poesia, nos deixam um halo de felicidade ao lê-las, mas também um travo um bocadinho amargo quando não conseguimos dar-lhe uma interpretação consistente, fazemos prevalecer o comentário rápido, simpático, mas no fundo verdadeiro, em detrimento de um comentário de análise, mais profundo...
De facto, as interpretações podem ser muitas e discuti-las seria uma riqueza. No caso deste “poema”, surgiram comentários próximos e outros distantes da objectividade que o marca.
Repito-me dizendo-lhe que será bem vindo(a) a este espaço. Ficará certamente um espaço mais rico para todos.

MV