sábado, 7 de março de 2009

ASSASSINATO




Horas!

Em ritmos repetidos, impiedosos

medem o compasso do tempo

como se o tempo tivesse tamanho!

E o tempo mede a vida

como se a vida se pudesse medir!


Horas! Medidas loucas!

Desregulam-me as funções vitais da alma.

Quero matá-las! Matar as horas!

Sempre que a noite se apeia

chamam pelo meu corpo

gritam se as não oiço

e levam com elas os sonhos diurnos.

Adormeço cansada de as repudiar.

E o sonho volta a acontecer!

Mas inda a luz da manhã se não tem levantado

e já as horas me gritam outra vez.

Acordam-me dos sonhos desenhados

em amor sem rédeas.

E assim não tenho tempo para sonhar.

E se insisto no sonho

logo as horas vêm, como brocas

perfurar o que sonhei no peito.

Canso-me!

E tento matar as horas

obrigando-as a sair do relógio.

Sufocam. Ficam roxas.

Como me rio delas!

Emano faíscas do olhar enraivecido

e vejo-as gemer!

Largo-as em águas agitadas, envenenadas.

Empalidecem!...

É então que rio muito sofregamente.

Afoguei-as num acto de prazer!

Já não há horas!

Já posso ser vento a sonhar o teu rosto!

De dia e de noite!

Já posso escrever o meu “poema”

sem ter o chicote das horas a bater.


Matei as horas, sim,

para que elas não me matassem a mim.


MV



35 comentários:

Artista Maldito disse...

Olá Marta

Porque a morte é a manifestação do ritmo implacável do tempo, matar as horas é também a única possibilidade de viver o sonho sem a descontinuidade temporal da outra face da realidade.

Um óptimo fim de semana, com todas as boas horas vividas/sentidas.

Beijinho com muito carinho
Isabel

Carlos Barros disse...

Olá Marta,

Às vezes as horas são implacáveis com o ritmo muitíssimo peculiar de cada um de nós.

Essa semana, por alguns motivos muito (a)diversos, fiquei compulsoriamente afastado, mas já me sinto um pouco melhor. Peço desculpas, por só agora poder voltar a visitá-la, bem como agradecer a gentileza de atribuir-me o selo. Muito grato pela lembrança!

Um afetuoso abraço
C.B.

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NEGROPOETA disse...

O que são as horas senão o limitador do que nos permite ser sem o envelhecimento do tempo e do ser. Carinhosamente Dinigro Rocha.

poematar disse...

PALMAS! Brilhante. Fluiu. Apetece-me dizê-lo. E que inteligência a tua, disseste "horas", não disseste "tempo". Como sempre, mais um acertado remate de poema. Um beijo.

Sonia Schmorantz disse...

Feliz dia da mulher com um grande beijo e parabéns pelo poema.

BC disse...

Que dia da mulher sejam todos os dias.
Beijo
Isabel

Artista Maldito disse...

Olá Marta

Deixo-lhe uma orquídea neste Dia Internacional da Mulher.

Um beijinho e um DIA FELIZ
Isabel

ลndreia disse...

Que lindo! Também eu gostaria de matar as horas tantas vezes... *

RAMA LYON disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ZuZmSNdoOfo

Ricardo disse...

Pois,se há coisas com as quais eu não consigo lidar muito bem é com o tédio,muitas vezes também tenho que "fintar" as horas, para superar a ansiedade!

Beijo

Ao Sabor da Poesia disse...

Oi minha querida amiga

Obrigado e espero que o Dia da mulher tenha sido excelente...

Grande beijo

A Intermitência dos Sentidos disse...

Excelente Marta!
Parabéns!

Um abraço

Ricardo disse...

Ps:

Amiga Marta, eu bem que tentei cuscar aqui o teu e-mail ou msn, pata te adicionar, mas sem sucesso! :) :)

Paciencia, quem me manda ser cusco e descarado... Ahahaha

Beijo

Daniel Costa disse...

Marta Vasil

Realmente, a ditadura da horas, existe e estraga muitas coisas.
Ao escrever, conseguiste assassiná-las, foi só simulacro, porque sempre ressuscitam.
Beijinhos,
Daniel

João52 disse...

lindo, lindo, lindo adorei
beijo poetico

poematar disse...

"Mulher ainda por cima..." porquê, Marta?... Somos seres humanos e ponto final. Aborrece-me esta divisão, actualmente, algo consumista, entre homem/mulher. Cada vez mais homem e mulher devem partilhar tarefas, sentimentos e deixarem-se de recalcamentos tontos. Todos nós temos em potência, as dimensões masculina e feminina. Recalcamos isso por questões de (des)educação, conformismo e conveniências da estruturação dominante do mundo. Houve uma época, a do matriciado, na qual a mulher é que saia, ia caçar e o homem ficava por casa. É assunto que nunca tive tempo de aprofundar. Há actualmente mulheres que são autênticas guerreiras e homens que não são nada disso. Por outro lado, as mulheres já chegam a chefias, e, muitas, estupidamente, agem como homens, ou/e juntam a isso uma certa mesquinhez de invejas e maldicências e falta de solidariedade que me parece haver mais nas mulheres, principalmente quando juntas. Como a ânsia de poder cada vez aumenta, até os homens também copiam as mulheres nesses aspectos. Olha, cada um é como é, e sejamos, isso sim, solidários uns com os outros, amigos, deixemos ódios, vinganças e esses disparates que tornam o mundo cinzento, repressivo e deprimido. Sejamos todos a Aurora. Adorei o teu comentário. Tanto que motivou ests tão longa escrita. Sabes do que é que tenho inveja nas mulheres? Poder vestir calças, saias, vestidos e essa variedade toda. Repara ma miséria do vestuário masculino ainda dominante: fato e gravata, sempre; o falo ao pendurão. Nem aí nos safamos. Tendes tanta coisa na mão. Desculpa. Um abraço. Boa semana.

poematar disse...

Já agora, dá um saltinho a este blogue e lê o texto "Homens". Pen so que foi uma ideia feliz http://meninamomentos.blogspot.com/

CarlaSofia disse...

O tempo apenas serve para nos orientarmos. A verdadeira essência dos e extratemporal
fora do tempo
fora de horas
Quanto ao comentário que deixou nos universos questionaveis, a Martinha interpretou bem as minhas palavras
beijinhos cósmicos

manzas disse...

Lindo texto!!

Num momento desnudado de inspiração
Apuro sentidos desconhecidos nas janelas do mundo…
Abro longas cortinas entreabertas da imaginação
E sonho despertar, num sono em que não durmo

Um resto de um bom dia e semana
Continuando, com a boa inspiração…

O eterno abraço…

-MANZAS-

Tatiana disse...

Oi Marta...
hoje estou passando no blog dos amigos apenas para informar que estarei um tempo ausente.
A vida anda exigindo demais de mim no momento e está difícil conciliar tudo.
Espero que seja uma breve pausa.

Até a volta!

Um abraço carinhoso

Artista Maldito disse...

Olá Marta

Venho muito de fugida, cheguei há pouco de uma pequena cirurgia, mas não ia deixar de lhe agradecer mais uma vez o seu carinho e amizade.

Um beijinho:)
Isabel

BC disse...

Olá Martita vim deixar-te um beijinho e saber se está tudo bem!
Isabel

Artista Maldito disse...

Boa Noite Marta:)

Trago comigo dois mimos que estão na minha lapela:

o prémio Carmim e o blog de Cristal.

E assim como vim também vou, em voo acelerado.

Beijinhos
Isabel

mundo azul disse...

__________________________________

Muito bom o seu poema! Leitura para refletir...


Beijos de luz e o meu especial carinho, Marta!!!

__________________________________

Joéliton disse...

Gostei do post...

frAgMenTUS disse...

obrgda minha kida!!!
bj grnd

frAgMenTUS disse...

nao consigo gravar a 2 imagem, se puderes manda-me p mail, p favor. :) bj

BC disse...

Martita apesar de já ter os selos agradeço-te na mesma, e logo ponho no meu blogue.
Obrigada e beijinhos
Isabel

Tentativas Poemáticas disse...

Querida amiga Marta
Por favor não me considere pretensioso nem invejoso por aquilo que lhe vou dizer e que pretende ser um elogio. GOSTARIA DE HAVER TIDO INSPIRAÇÃO PARA ESCREVER ESTE POEMA.
Muito obrigado pelos mimos que vou colocar a abrilhantarem o meu humilde blogue.
Beijinhos
António

Artista Maldito disse...

Marta, só uma palavra: OBRIGADA:)

Fiquei muito feliz com o seu gesto nobre.

Beijinhos
Isabel

impulsos disse...

Minha amiga
Fizeste muitíssimo bem em matar as horas, pois assim terás a certeza de que elas não te matarão a ti, para que continues a escrever tão belos poemas assim, como este que eu simplesmente adorei!

Beijo e obrigado pela rosa

impulsos disse...

Voltei, porque te queria deixar um convite, quem sabe, o venhas a aceitar...

Acho que os teus poemas são belos demais para ficarem só aqui, que tal partilha-los com muito mais gente espalhada por esse mundo?

Aqui:http://www.luso-poemas.net/

Ou aqui:http://www.escritartes.com/forum/

João Videira Santos disse...

Gosto!

...E gostar por si só, diz tudo!

Beijo

nanda disse...

gostei muito do teu poema, mas tambem gostei do comentário de Poematar... comentar é isso mesmo... dizer exatamente o que pensamos, mostrando que fizemos realmente uma análise ao que lemos... parabens pelo blog