segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

HISTÓRIAS DE QUALQUER UM




Na ânsia de viver por linha bem traçadas
afinamos as mãos
pegamos no estirador
esboçamos a planta da vida desejada
e em alicerces bem construídos
caminhamos sobre a senda desenhada.
Mas… um dia
derrubam-se os alicerces da paz
interrogações eclodem no peito
na boca nascem palavras atadas
nas mãos gestos contidos
e os traços da planta da vida
assim vão ficando esquecidos.
A vida desarruma-se em dias cansados
emaranha-se em sonhos malfadados.
Avisa a fala do tempo para voltarmos atrás
rebuscarmos dentro de nós
nos recantos mais recônditos
mas encontrar ou redesenhar a planta da vida
já ninguém é capaz.
MV

15 comentários:

poematar disse...

Palvras certeiras, apesar do pessimismo que não sei se o será. Tudo de bom.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Belíssimo poema!
Que você tenha uma ótima semana.
Abraços

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CarlaSofia disse...

Porque a vida também tem a sua imprevisibilidade. É necessário estarmos prevenidos com um plano B, mas se fosse assim tão fácil...
Por isso, as plantas da vida são constantemente redesenhadas.
beijinho de LUZ

João Videira Santos disse...

Agradeço a referência ao meu link.

Com simpatia retribui.

Beijo

José Manuel Brazão disse...

Ninguém consegue desenhar ou redesenhar a planta da vida!
A vida é uma constante!
A planta da vida estava sempre desactualizada!

Beijos com carinho

D.Ramírez disse...

Adorei aqui..conheci e ficarei. Muito bom..li no seu perfil q nao entende as vezes poesia, mas as escreve muito bem..embora nao seja um aficcionado ou entendedor, mas pode ser q poesia nao é pra ser entendida e sim sentida?
Sei la..so sei q vc entende e bem;0

Besitos

Espelho disse...

Existe apenas um caminho a seguir, ele encontra-se à frente do nosso olhar...

Beijo

João Videira Santos disse...

A verdade é uma constante numa só frase...

Ela "diz" tudo: "...A vida desarruma-se em dias cansados"

Ricardo disse...

Somos sempre capazes...

Beijo :)

Artista Maldito disse...

Olá

É a primeira vez que comento na sua "casa" e faço-o, trazendo comigo o Blog de Ouro. Se o quiser aceitar está à sua espera no artista maldito.

Beijo
Isabel

f@ disse...

Sublime este poema...
A vida tem surpresas que o desenho original não previa... sei lá se redesenhar é o melhor ou apagar tudo e fazer uma nova planta... cada um de nós tem um lápis e uma borracha dentro do coração e um jeitinho especial para traços a medida da sua própria vida...
acho que a vida só nos dá o que somos capazes de ter...

Beijinhos das nuvens

Artista Maldito disse...

Pois, eu sou tão distraída que me esqueci de dizer que tinha chegado aqui através do António e de Tentativas Poemáticas, já a conhecia dos comentários e sempre apreciei a sua forma correcta, atenciosa e cuidada de escrever.

Beijinho
Isabel

Vanda Paz disse...

é assim, é. mas é necessário fazer essas buscas interiores. até porque precisamos de saber quem somos.

beijinhos

nanda disse...

Redesenhar a linha da vida... impossivel... mas possivel é guardarmos e fazermos balanços ás recodações e crecermos com elas. Beijos