quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

RENASCER


Caía a noite ávida de chegar

Estilhaçava-se o sossego em que me deitava

Paravam os voos de borboletas

onde ao entardecer eu esvoaçava

Telas recobriam-se de tintas

que o tempo, sem dó, apagava

Acendiam-se chamas fosforescentes

em florestas virgens de mãos.

Paravam as melodias silvestres

brotadas do rumorejar das fontes.

E em cachos abundantes

nasciam vogais e consoantes

em fabrico de novas palavras.


MV

14 comentários:

Vera disse...

"E em cachos abundantes
nasciam vogais e consoantes
em fabrico de novas palavras."

Genial MV! Genial mesmo!

Um beijo grande e um 2009 muito feliz

José Manuel Brazão disse...

Tens cachos de competência e inspiração!

Saes que para ser Amigo, tenho de ser sincero. É o que sinto quando te leio e comento!

Beijos com carinho



NOTA: Cada dia que passa, nota-se a evolução da tua Poesia!

daniel milagre disse...

Marta

Um interessante pensamento poético. Apreciei imenso a deambulação, por vogais e consoantes.

Bom Ano
Daniel

Ricardo disse...

A vida não pára!

Beijo :)

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonia Schmorantz disse...

Obrigado pelo carinhoso comentário ao meu blogger...Mas em resposta à sua pergunta: escrevo sim, não tão bem quanto tantos outros poetas, e de vez quando mesclo junto aos autores que aprecio. Minhas poesias todas estão publicadas no site do Pensador:
www.pensador.info/autor/Sonia_Schmorantz/
Se um dia as ler, gostaria muitissimo de saber sua opinião.
Um abraço e meus votos de um 2009 repleto de alegrias.

poematar disse...

Belos textos. Obrigado pela visita. Sim, são esses os sentidos que viste no meu poema. Cada um pega como quiser,desde que respeite a respiração do texto, a(s) sua(s) verdades. Tudo de bom e que continues a escrever.

paradoXos disse...

sem palavras: sublime!!

Carla Sofia disse...

Pois que a poesia é o constante renascer das palavras, que reinventam e se conjugam em novas formas de significado.
Beijinhos querida Marta

ลndreia disse...

Lindo!!! *

BC disse...

Bonito o teu poema, para começar o ano.
Vamos voltar à normalidade da escrita ,espero.
Beijos
Isabel

JOSÉ FARIA disse...

Lindo Marta Vasil, que esta tua poesia seja universal, em cachos abundantes de felicidade para todos os povos.

Pois sobre o texto meu onde deixaste comentário , que agradeço,
continuo a teimar que:

O problema, ou problemas, que geram as guerras, é um problema que diz respeito a todos os povos; Porque o Planeta e o ar que todos respiramos é o mesmo!
Só a Paz e a Solidariedade humana semeia a riqueza repartida e o equilíbrio do progresso social global!
Abraço de amizade

Wislley costa disse...

belíssima poesia!!você está mesmo evoluindo,parabéns!!!continue esse exelente trabalho no blog!!!
e obrigado pelos comentarios no blog!!bom inicio de ano para você!!

Sonia Schmorantz disse...

Bela inspiraçao...adorei ler.
Um abraço